Gestão Familiar

Por Domingos Ricca, ricca@empresafamiliar.com.br

De um desejo pessoal, alguém cria uma empresa e chega ao fim da vida com dificuldade de compartilhar seus valores e sonhos com a segunda geração de sua família. Alguns empreendedores se frustram por não conseguirem repassar seus sonhos e projetos para seus herdeiros.

As expectativas da segunda geração quanto à empresa precisam ser resultado da trajetória de vida do fundador e tê-la como base. É necessário que aquele que se responsabilizar pelo comando da família, encarne os valores que a segunda geração descobre na primeira.

O filho que assumir a gestão da empresa deverá representar os valores da família, que, normalmente, são: trabalho duro, comprometimento com o sucesso do negócio, disposição para se sacrificar pelo cliente, confiança dos familiares.

A estabilidade e a harmonia no relacionamento familiar e na sua interseção de interesses de longo prazo é o que permitirá o equilíbrio entre os interesses individuais e os da empresa.

Mas nem sempre o sonho do pai é o sonho do filho. A hereditariedade não é razão para se pertencer a uma empresa familiar. Os valores comuns vêm em primeiro lugar. O segundo fator preponderante é a afinidade entre o perfil do cargo de gestor corporativo e o perfil do profissional que irá assumir a vaga.

A tarefa do fundador é desenvolver uma ideologia estável e coerente. Essa é a base para a construção de uma sólida hierarquia de valores que nortearão as gerações futuras. E não basta apenas a solidez familiar, é necessário que a empresa tenha competência para permanecer no mercado.

Nesse sentido, recomenda-se que os fundadores sejam conscientizados para que essas mudanças, decorrentes da sucessão e que impactarão decisivamente a vida das empresas familiares, sejam feitas com direcionamento e apoio.

Só haverá eficácia no processo de sucessão, quando a organização entender que o que manteve a empresa sólida e estabelecida no mercado foram: sua cultura; os padrões de atividades empresariais que consolidaram a organização com um diferencial de mercado; e, principalmente, o carisma do fundador.

Domingos Ricca é Sócio-Diretor da Ricca & Associados Consultoria e Treinamento e da Revista Empresa Familiar. Consultor especializado em Governança Corporativa para Empresas Familiares. Idealizador e apresentador do Programa de TV Gestão Familiar. Palestrante e Conferencista nacional e internacional.

Este artigo reflete as opiniões do autor e não deve ser interpretado como opinião da B3 ou como recomendação de investimento. A B3 não se responsabiliza nem pode ser responsabilizada pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência de seu uso para qualquer finalidade.
2018-02-09T16:29:46+00:00 09/02/2018|Artigo em foco|