Contabilidade: Uma aliada em tempos de crise

Por Greice Jasper

Nos últimos tempos, a contabilidade passou a ser uma grande aliada para os empresários, pois evoluiu do nível de apenas prestação de serviços para o de consultoria de empresas. Isto torna-se mais perceptível em tempos de crise, nos quais o empresário procura se ater em visões positivas que apontem o caminho de oportunidades e alternativas para se proteger e até usufruir deste momento. Neste período, o profissional de contabilidade torna-se ainda mais indispensável, com seu conhecimento integrado dos âmbitos tributário, financeiro e de planejamento, o que facilita sua relação com as organizações, servindo como bússola para evitar possíveis obstáculos.

A contabilidade sempre foi uma ferramenta para o sucesso das empresas. O empresário que trabalha unido com o seu contador encontra nele um aliado que pode contribuir com o desempenho e crescimento do negócio. O profissional contábil, com esse papel de consultoria, planeja ações e aperfeiçoa processos com base nos dados numéricos, análises e projeções da organização. Por este motivo, é necessário ter um conhecimento aprofundado da empresa e do mercado, pois cada decisão tomada afeta diretamente a organização. O contador também contribui identificando pontos positivos e negativos, indicando o regime tributário mais adequado para empresa durante o ano, apontando possíveis investimentos e cortes de gastos. Sendo assim, é possível recomendar o que é mais adequado para a empresa, auxiliando o empresário não só nos momentos de crise.

A forma de arrecadação dos governantes é através dos tributos, ou seja, se a arrecadação em tempos de crise está caindo, a solução é aumentar os tributos ou aprovar novos. Dentre as principais mudanças na legislação tributária neste ano, pode-se destacar o recolhimento dos impostos em relação às vendas interestaduais destinadas ao consumidor final, seja ele contribuinte ou não-contribuinte do ICMS (pessoa física ou jurídica), que entrou em vigor a partir do dia 1º de janeiro de 2017.

De acordo com o Plano Anual da Fiscalização 2016 da Receita Federal do Brasil (RFB), as principais operações que estão sendo objetos de fiscalização neste ano, são:

  1. I)Planejamentos Tributários Vinculados a Eventos de Reorganização Societária com Geração de Ativos Amortizáveis;
  2. II)Planejamento Tributário Envolvendo Fundos de Investimentos em Participações;

III) Tributação de Resultados Auferidos em Controladas e Coligadas no Exterior;

  1. IV)Sonegação Envolvendo Distribuição Isenta de Lucros;
  2. V)Evasão nos Setores de Cigarros, Bebidas e Combustíveis;
  3. VI)Planejamento Tributário Envolvendo Direitos de Imagens de Profissionais;

VII) Sonegação Previdenciária por Registro Indevido de Opção pelo Simples Nacional;

VIII) Falta de Recolhimento de Carnê-leão por Profissionais Liberais;

  1. IX)Omissão de Receitas com Base em Notas Fiscais Eletrônicas;
  2. X)Financiamento de Aposentaria Especial; e
  3. XI)Omissão de Receitas ou Rendimentos a Partir de Indícios de Movimentação Financeira Incompatível

As fiscalizações por parte da RFB tendem a aumentar ainda mais. É inevitável diante deste cenário que as empresas, independentemente de seu porte, tenham um acompanhamento ainda mais diligente da contabilidade em suas rotinas diárias, para a geração de informações com o objetivo de auxiliar os empresários na tomada de decisões.

A contabilidade é, sem dúvida, uma forte aliada para as organizações, onde o bom planejamento tributário viabiliza possíveis formas de economia fiscal, além é claro, de evitar surpresas desagradáveis por parte do Fisco Municipal, Estadual ou Federal.

Greice Jasper atua na área contábil e fiscal no escritório Dutra Contabilidade, com empresas de pequeno, médio e grande porte utilizando a metodologia Dutra Consultores. Desenvolve projetos multidisciplinares a fim de proporcionar soluções integradas, mais abrangentes e seguras aos clientes.

Este artigo reflete as opiniões do autor e não deve ser interpretado como opinião da B3 ou como recomendação de investimento. A B3 não se responsabiliza nem pode ser responsabilizada pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência de seu uso para qualquer finalidade.
2017-10-03T20:49:39+00:00 03/10/2017|Artigo em foco|