A Importância do Fundador nas Empresas Familiares

Por Domingos Ricca, ricca@empresafamiliar.com.br

Sem dúvida, a figura mais importante da empresa familiar é o fundador. O pai, o avô, aquele que desenvolveu e concretizou o negócio é exemplo a ser seguido pelos familiares. Ele possui todo o conhecimento sobre a empresa e sabe a melhor forma de solucionar cada tipo de problema corporativo.

Além disso, a imagem que a própria organização apresenta frente ao mercado está diretamente vinculada à personalidade do patriarca. Seus princípios e valores são incorporados no modo de atuação da empresa, direcionando o posicionamento que ela apresenta frente aos colaboradores, clientes e à comunidade como um todo.

A identidade de uma empresa familiar está pautada em pilares que foram adotados pelo fundador no início do negócio. Garantir a perpetuação desses sustentáculos, transmitindo-os aos sucessores, é o principal meio para dar continuidade ao modelo de gestão consolidado.

Os pilares são:

  • Palavra / Credibilidade;
  • Perseverança;
  • Carisma / Liderança;

No início, a palavra é tudo o que o fundador possui como forma de garantia, ou seja, toda sua credibilidade está respaldada na concretização de suas ações. Se o sucessor estiver consciente da força que tem a palavra dada, a confiança que os clientes depositaram no seu antecessor também será transmitida a ele.

Além disso, é importante que a futura geração conheça a trajetória de vida do fundador, a fim de compreender a importância da sua perseverança e do seu esforço no desenvolvimento da empresa. Os herdeiros que sabem das dificuldades enfrentadas tendem a valorizar mais os negócios da família.

A liderança e o carisma são as únicas características que o patriarca não consegue transmitir aos seus herdeiros, pois a personalidade é moldada a partir da trajetória de vida de cada um. Liderança pode ser aprendida, mas carisma é uma característica pessoal, e a esmagadora maioria dos fundadores possui este traço em seu perfil.

O herdeiro deverá, além de apresentar capacidade necessária para assumir a gestão, possuir e transmitir os valores que simbolizam a organização.

A palavra/credibilidade, a perseverança, a liderança/carisma são valores que sustentaram a formação e expansão do negócio, formando o modelo de cultura empresarial. Toda cultura é respaldada por valores e pode sofrer mudanças para acompanhar a modernidade dos tempos. Porém, os valores são os mesmos que definem a base familiar e a própria empresa. Um planejamento sucessório consiste em manter este conjunto de valores, transferindo-os às próximas gerações.

Por este motivo, a presença do fundador, como fonte do conhecimento, é fundamental durante a sucessão. Ele é quem deve indicar a pessoa mais capacitada para assumir seu cargo na empresa, sendo ela da família ou não.

Este sucessor fica responsável por levar adiante os valores do patriarca, inclusive suas crenças e suas atitudes relacionadas aos desafios, aos sucessos e aos insucessos enfrentados. Assim, é possível perpetuar o negócio desenvolvido e consolidado, mantendo também a imagem da empresa no mercado.

Domingos Ricca é Sócio-Diretor da Ricca & Associados Consultoria e Treinamento.  

Este artigo reflete as opiniões do autor e não deve ser interpretado como opinião da B3 ou como recomendação de investimento. A B3 não se responsabiliza nem pode ser responsabilizada pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência de seu uso para qualquer finalidade.
2017-08-17T21:49:50+00:00 17/08/2017|Artigo em foco|