Entregue o que promete

Por Edu Bezerra, ebezerra@exection.com.br

Você já deve ter lido e ouvido mais de 500 vezes: “Nunca prometa o que não pode entregar!” e no caso de empresas e pessoas que entregam serviços, com mais frequência ainda?

E outra máxima? Prazo é prazo?

Transformar o intangível em tangível deveria ser considerado uma arte. Por quê?

  • Você deve enxergar além e materializar aquilo em uma proposta;
  • Deve prever o imprevisto;
  • Pela dificuldade que poderá enfrentar (e se errar a mão no orçamento, perdeu);
  • Necessidade de ser mais ou menos um “oráculo”, envolvendo pontos como:
    • Pessoas jogando contra;
    • Informações que dizem estar corretas, quando sabemos que no dia a dia não é bem assim;
    • Sistemas que “teoricamente” estão integrados…;
    • Conflitos internos;
    • Confusão entre situações pessoais e profissionais;
    • Expectativas das mais diversas possíveis;
  • E o ápice é transformar tudo isto em um cronograma.

Por conta disso, todos que trabalham com serviços deveriam ser considerados “artesãos”.

Passada essa fase, você será cobrado por cada passo que colocar em um cronograma e deve gerir tudo na ponta do lápis.

E, se de repente encontrar uma pedra no meio do caminho que não estava prevista? Entra novamente a habilidade de “artesão” para trilhar soluções que não havia imaginado.

Por essa razão, as pessoas que trabalham com serviços devem ter muitos quilômetros rodados, experiência e conhecimentos suficientes para desenvolver as melhores soluções. E se mesmo assim não for o suficiente, conhecer as pessoas certas para complementar a solução.

Prometeu algo? Então entregue! Reputação e credibilidade se constroem com essas máximas.

Se for necessário virar madrugadas, feriados e finais de semana, o que será que vale mais? A sua palavra ou algumas horas de sono e descanso investidas?

Se for estourar o orçamento passado, como lidar com isto?

Realmente, é uma questão muito delicada, principalmente se você não documentar cada passo e entrega do seu serviço dizendo o que deu certo e o que deu errado. E, principalmente, ir alinhando as expectativas.

Isto eu aprendi cedo, cada passo que for dado deve ser documentado, afinal de contas, não é a arte de transformar o intangível em tangível e como fazemos isto? Demonstrando! Alinhando expectativas! A comunicação evita surpresas indesejáveis.

Gerir este conjunto de variáveis realmente é uma arte, no entanto, ao final, o grande prêmio é a satisfação de um cliente bem atendido recomendá-lo para outro e para outro, momento em que a mágica acontece, você se tornará referência no que faz.

Portanto, prometa o que possa entregar e entregue.

Edu é impulsionador fundador da Exection Impulsionadora de Negócios, atua nesta área desde 1999. Já exerceu cargos executivos, possuiu experiência em consultorias como Falconi e TOTVS, é empreendedor, é colunista e voluntário Endeavor, faz parte dos grupos de empreendedores Virtvs e Conexão de Pontos, escritor de artigos e palestrante. Planejou e executou projetos de impulsão de negócios em diversos segmentos e tamanhos de organizações, possuindo destaques para: e-commerce, manufatura, energia, bancos, saúde, logística, tecnologia, comunicação e mídia, entretenimento, luxo, educação, turismo e automotivo. Graduado em engenharia de produção, mecânica (FEI), CBA em Finanças (Ibmec), cursos de especializações em vendas Spin Selling®, Stadium Gorilla®, estatística black belt (FDG).

Este artigo reflete as opiniões do autor e não deve ser interpretado como opinião da B3  ou como recomendação de investimento. A B3 não se responsabiliza nem pode ser responsabilizada pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência de seu uso para qualquer finalidade.
2017-08-17T21:17:18+00:00 17/08/2017|Artigo em foco|