Programa Criação de Valor: conectando empresas com potenciais investidores

Por Gustavo Benatti, gbenatti@bvmf.com.br

A BM&FBOVESPA possui papel estratégico no desenvolvimento do mercado de capitais brasileiro, justamente por ser a casa que administra e regula o ambiente onde ocorrem, de forma centralizada, as negociações de ações, debêntures, cotas de fundos, entre outros valores mobiliários.

Desta forma, a Bolsa se posiciona como um hub, onde empresas abertas ou em processo de abertura de capital podem acessar capital de investidores admitidos e integrados a essa plataforma, denominados “participantes de negociação”, que são as asset managements, os hedge funds, os fundos de pensão, entre outros.

Nessa mesma plataforma, a Bolsa também está conectada com investidores interessados nas empresas ainda de capital fechado – os fundos de Private Equity ou de Venture Capital – que utilizam o mercado de capitais para realizar seus desinvestimentos ao transformarem suas empresas investidas em empresas de capital aberto. Nos últimos 12 anos, tivemos mais de 150 IPOs (“Ofertas Públicas Iniciais de Ações”), das quais 40% eram empresas investidas por fundos de Private equity.

Valendo da sua estrutura robusta e a da sua ampla conectividade com todo o mercado, a BM&FBOVESPA atua, desde 2002, em prol do fomento do mercado por meio de uma iniciativa denominada Fórum Abertura de Capital, cujo objetivo é selecionar empresas que estão em busca de capital para crescer, prepará-las para falar com o mercado e, por fim, prover rodadas de reuniões direcionadas para investidores e intermediários, que assistem à companhia simultaneamente.

No entanto, em 2016, a Bolsa lançou o Programa Criação de Valor, que tem objetivos simulares ao Fórum Abertura de Capital, mas diferencia-se por prover aproximações individualizadas entre a empresa participante do programa e potenciais investidores com reuniões one-on-one.

Duas empresas participaram dessa nova iniciativa, atuantes nos setores de biometria óptica e digital e logística aplicada para o transporte de cimentos a granel. A proposta de valor das duas companhias contemplava o aporte de um fundo de private equity e ambas se interessam pela possibilidade futura de acesso ao mercado de capitais, pós aporte do fundo e maturação destes investimentos.

Gustavo Benatti é Administrador de Empresas graduado pela EAESP/FGV, pós-graduado em Finanças Corporativas e Investment Banking pela FIA/USP e com especialização em relacionamento com investidores pelo Instituto Saint Paul. Atua na BM&FBOVESPA desde 2009, sendo responsável pelo relacionamento entre a Bolsa e empresas de capital fechado. Gustavo participou do grupo de trabalho responsável pelo desenvolvimento do segmento de listagem Bovespa Mais, com objetivo de fomentar o mercado de capitais com ofertas de menor porte e é responsável por iniciativas que visam aproximar empresas com planos de crescimento com potenciais investidores e estruturadores de oferta. Anterior a BM&FBOVESPA, atuou como Analista de Investimento em renda fixa e securitização de recebíveis no Unibanco.

Este artigo reflete as opiniões do autor e não deve ser interpretado como opinião da BM&FBOVESPA ou como recomendação de investimento. A BM&FBOVESPA não se responsabiliza nem pode ser responsabilizada pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência de seu uso para qualquer finalidade.

 

Ainda é cedo para falar do sucesso do programa, mas em três dias de reuniões dedicadas com fundos realizadas nas praças de São Paulo e do Rio de Janeiro, a BM&FBOVESPA organizou mais de 20 reuniões entre as empresas participantes do programa e fundos de private equity interessados em conhecer as oportunidades.

A Bolsa acredita que esta nova dinâmica de reuniões one-on-one entre empresas e potenciais investidores trará maior dinamismo ao mercado, principalmente pelo estreitamento de interesses das partes.

Aproveitamos para agradecer às empresas participantes do programa e aos parceiros Sower Partners e Prospectione, que juntos colaboraram na construção de todo o material utilizado nas reuniões com os fundos na 1ª desta nova iniciativa.

Que em 2017 possamos todos trabalhar juntos novamente para um mercado de capitais mais dinâmico e inclusivo!

 

Gustavo Benatti é administrador de empresas graduado pela EAESP/FGV, pós-graduado em Finanças Corporativas e Investment Banking pela FIA e com especialização em relacionamento com investidores pelo Instituto Saint Paul. Atua na BM&FBOVESPA desde 2009, sendo responsável pelo relacionamento entre a Bolsa e empresas de capital fechado. Gustavo participou do grupo de trabalho responsável pelo desenvolvimento do segmento de listagem Bovespa Mais, com objetivo de fomentar o mercado de capitais com ofertas de menor porte e é responsável por iniciativas que visam aproximar empresas com planos de crescimento com potenciais investidores e estruturadores de oferta.

Já atuou na área regulatória da Bolsa, departamento responsável pela criação e implementação dos Segmentos Diferenciados de Governança Corporativa, tendo participado do processo de listagem de empresas nos segmentos Novo Mercado, Nível 2 e Bovespa Mais. Anterior a BM&FBOVESPA, Atuou como Analista de Investimento em renda fixa e securitização de recebíveis no Unibanco.

2017-02-13T20:13:31+00:00 29/12/2016|Vitrine da B3|